No Dia do Aposentado, saiba quanto seu benefício aumentou nos últimos 14 anos



Previdência desembolsa R$ 21 bilhões todo mês para pagar 29 milhões de aposentados.

Nesta terça-feira (24), comemora-se o Dia do Aposentado. Apesar de existir uma data específica para o trabalhador que já deixou a ativa, não há muito o que comemorar entre aposentados e pensionistas porque os reajustes foram modestos, sobretudo para aqueles que ganham mais de um salário mínimo (R$ 622). Veja na tabela abaixo o tamanho do aumento do seu benefício nos últimos 14 anos.

Outros obstáculos para os aposentados são os entraves e as burocracias e o número insuficiente de funcionários e médicos peritos nas agências da Previdência para atender quem já parou de trabalhar, segundo o advogado Theodoro Vicente Agostinho, do escritório Raeffray Brugioni Advogados.

Desde o ano 2000, a política de aumento da aposentadoria privilegia quem ganha o piso previdenciário, que corresponde ao salário mínimo (R$ 622).



A meta é reduzir a desigualdade econômica e social e oferecer melhor distribuição de renda para população, mas quase todo ano, quem ganha mais que o mínimo sofre com reajustes iguais à inflação, o que prejudica o poder de compra dessa fatia da sociedade.

Com isso, o ganho real entre quem ganha mais que um salário mínimo e os aposentados que ganham o piso (R$ 622) já acumula uma diferença de 91% entre 2000 e 2012.

Em outras palavras, quem ganha o salário mínimo vem ganhando poder de compra ao longo dos anos, enquanto quem ganha mais que o salário básico é prejudicado porque tem reajustes no mesmo nível da inflação.

A Previdência paga, todo mês, R$ 21 bilhões a aproximadamente 29 milhões de aposentados e pensionistas. Só em São Paulo são 6,5 milhões de beneficiários, que recebem R$ 6 bilhões dos cofres públicos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário