Prefeito do Rio confirma que três prédios desabaram no centro da cidade


Secretaria de saúde confirma cinco vítimas com ferimentos leves.

O prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes confirmou no início da madrugada desta quinta-feira (26) que um terceiro prédio foi atingido pelos outros dois desabamentos e também caiu, na avenida 13 de Maio, no centro da cidade. Segundo Paes, esse edifício seria um sobrado com três ou quatro andares.

As outras construções que caíram foram um prédio de 20 andares e um outro de 10. Os três ficam próximos ao Theatro Municipal.

Paes pede que as pessoas que trabalham na rua 13 de Maio fiquem em casa nesta quinta, pois a área estará fechada.

Segundo informações preliminares da Defesa Civil Estadual, 11 pessoas foram retiradas dos escombros e, ao menos cinco, foram encaminhadas para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro.



Ainda não se sabe o que poderia ter causado o desmoronamento, mas funcionários e testemunhas contam que o cheiro de gás era forte. O prefeito Eduardo Paes foi ao local para acompanhar os trabalhos de buscas e disse que é remota a hipótese de vazamento.

- É pouco provável que tenha sido vazamento de gás ou uma explosão, mas nenhuma hipótese está descartada. As maiores chances são de danos estruturais.

O edifício Liberdade tem cerca de 18 andares e fica na rua 13 de Maio. O outro prédio atingido, que teria cerca de dez andares, está localizado na rua Manoel de Carvalho.

Motoristas devem evitar região

O acidente aconteceu por volta das 20h15, em um local de grande movimento e importância histórica, no centro do Rio.

Uma grande área no entorno do local foi interditada para o tráfego. Os motoristas devem evitar a região. Quatro estações do metrô (Cinelândia, Carioca, Uruguaiana e Presidente Vargas) foram fechadas por precaução, sem previsão de retorno.

Por volta de 21h15, houve corre-corre após um princípio de incêndio. Cerca de 30 pessoas foram resgatadas de um prédio ao lado devido ao risco de desabamento.

Bombeiros de diversos batalhões trabalham em busca de vítimas. A energia elétrica foi cortada para evitar acidentes.

Andares altos caíram primeiro

O desabamento teria começado pelos andares mais altos, segundo o auxiliar de manutenção Julio Cesar de Oliveira Brandão, que contou ter visto o momento em que o edifício veio abaixo.

- Estava na banca de jornal quando comecei a ouvir uns estalos. Pensei que fossem tiros. Quando olhei para cima, vi os andares mais altos caindo.

Outra testemunha do acidente, o engenheiro elétrico Jorge Drauss, conta que tomava suco em uma lanchonete quando percebeu que várias pedras pequenas caíam do alto do edifício.


- Eu estava tomando um suco em uma lanchonete quando percebi que pequenas pedras estavam caindo do alto. Pensei que fosse alguém fazendo um buraco para ar-condicionado. De uma hora para outra, o prédio começou a cair.

Nenhum comentário:

Postar um comentário