Corpo de Chico Anysio é cremado no Rio em cerimônia fechada para parentes e familiares


Durou cerca de uma hora a cerimônia de cremação do corpo do humorista Chico Anysio no Crematório da Santa Casa da Misericórdia, no Cemitério São Francisco Xavier, no Rio de Janeiro, na tarde deste domingo (25).

Depois do velório por onde passaram mais de 5 mil pessoas no Theatro Municipal, neste sábado (24), a cremação foi feita em cerimônia privada apenas para familiares e amigos mais próximos. Estiveram presentes cerca de 30 pessoas no crematório, a mulher Malga Di Paula, as ex-esposas Zélia Cardoso de Mello e seus dois filhos adolescentes que vieram dos Estados Unidos, o irmão de Chico Anysio Elano de Paula, e filhos como Nizo Neto e Bruno Mazzeo. Além de artistas e amigos que compareceram para dar um último adeus ao mestre do humor como Agnaldo Timóteo, Luiz Carlos Barreto, Ziraldo, Eri Johnson, Daniela Escobar e Heloísa Perissé.

“Tudo que ele fez pelo povo brasileiro é imortal”, disse Eri Johnson.

“O Chico ensinou o brasileiro a rir de si mesmo, a se ver criticamente em todas as suas malandragens. Mais que um humorista, ele foi um crítico dos costumes, ele tinha espírito crítico. Na juventude, nós sempre convivemos com o Chico. Essas lembranças todas ficaram. O Chico veio cedo para o Rio e se transformou numa grande personalidade na vida”,  disse o cineasta Luiz Carlos Barreto, o pai.

Barreto que esteve presente na cerimônia de cremação descreveu como uma “solenidade muito bonita”. Tocaram músicas de autoria do próprio Chico como “A noite do meu bem”, a última canção antes da cremação.



"Apagou-se uma estrela", diz irmão de Chico Anysio
O primeiro a pronunciar palavras de carinho foi o irmão mais velho de Chico, Elano, 89, que declamou versos de um poema que havia escrito ao irmão. “Apenas apagou-se uma estrela, e várias outras criadas por ele brilham lá em cima. Para onde você olhar, vai encontrar o Chico Anysio”, disse Elano. “Não teve despedida, a vida é eterna, daqui a pouco estou junto com ele. A morte para mim é apenas o início de outra vida”, afirmou.

Durante a cerimônia, o filho Nizo Neto fez ainda um agradecimento à Malga Di Paula por ter acompanhado Chico até o final de sua vida. Malga relembrou momentos da vida de alegria ao lado de Chico, mas também de dificuldade quando ele esteve internado.

“Malga contou uma vez que ele sentiu medo e pediu para ela rezar e fizera uma oração para São Francisco”, relatou o ator Nelson Freitas que esteve na cerimônia.

Já Heloisa Perissé estava visivelmente emocionada. “Foi uma perda muito grande. As pessoas de humor são insubstituíveis. Foi uma despedida muito bonita. Oramos e cantamos”, disse.

Alguns poucos fãs do humorista fizeram plantão na frente do crematório carregando faixas e cartazes com os dizeres: “O Brasil perdeu um grande humorista. Ele era o cara. Descanse em paz Chico.

"As cortinas de veludo foram fechadas para ele", diz Malga Di Paula
A viúva de Chico Anysio foi a última a deixar o crematório e falou à imprensa pela primeira vez. “O desejo dele foi feito. A gente cantou junto, foi lindo. As cortinas de veludo foram fechadas para ele. O show acabou muito bem”.

Segundo Malga, ainda não há previsão de quando serão jogadas as cinzas de Chico Anysio. Parte das cinzas do humorista serão levadas à floresta do Projac --centro de produção da Rede Globo, no Rio-- e outra parte para Maranguape, no Ceará, onde Chico nasceu. As informações foram confirmadas ao UOL pelo advogado do humorista, Paulo Cesar Pimpa.

Família cria Instituto Chico Anysio
Malga anunciou que já tem planos para manter a memória do marido. “Estou já abrindo um Instituto Chico Anysio, principalmente para apoio à pesquisa do tratamento à enfizema das doenças bronco pulmonares e apoiar um projeto de um cientista brasileiro de São Paulo, Dr João Tadeu, que está muito próximo da cura do enfizema com células tronco, só falta praticamente o dinheiro. A gente não fez durante o ano, o Chico gostaria muito. Vou abrir esse instituto para ajudar porque são 250 milhões de pessoas que sofrem desse mal no mundo”.

Segundo Malga, o Instituto Chico Anysio também terá o intuito de conscientização contra o tabagismo.

Chico Anysio morreu na tarde de sexta-feira (23) aos 80 anos de idade por falência múltipla dos órgãos decorrente de choque séptico causado por infecção pulmonar.

Chico estava internado há mais de 100 dias no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, e era sempre acompanhado de sua mulher.

Ao longo de seus 65 anos de carreira, o mestre do humor Chico Anysio criou mais de 200 personagens e foi um dos maiores humoristas do Brasil com destaque no rádio, na TV, cinema e teatro. Anysio foi um dos maiores nomes da comédia no Brasil tendo começou no rádio ainda na década de 1950 e inovou na televisão.

Dedicado ao humor, Chico também era apaixonado pela pintura. Ele deixa oito filhos e completaria 81 anos no dia 12 de abril

Nenhum comentário:

Postar um comentário