Gráfica investigada pelo MPF recebeu R$ 1,8 mi do governo federal

Segundo informações do jornal Folha de São Paulo, a Editora Gráfica Atitude, apontada pelo Ministério Público Federal como um dos canais usados para distribuir recursos desviados da Petrobras para o PT, pode ter recebido R$ 1,8 milhão em pagamentos do governo federal e de nos últimos anos.

Com sede em São Paulo, a gráfica é ligada à CUT (Central Única dos Trabalhadores) e também recebeu R$ 2,4 milhões de duas companhias envolvidas no esquema de corrupção na Petrobras.



De acordo com o governo e com as estatais que fizeram pagamentos à gráfica, o dinheiro comercializado foi destinado ao pagamento de veiculação de publicidade oficial da "Revista do Brasil", editada pela Atitude, e com tiragem de 200 mil exemplares mensais, segundo a gráfica.

O Ministério Público Federal soube recentemente da existência da Atitude, ao descobrir pagamentos que ela recebeu de duas empresas controladas pelo executivo Augusto Mendonça, do grupo Setal Óleo e Gás, que tinha negócios com a Petrobras.

Em depoimento prestado em março, Mendonça afirmou que os pagamentos, feitos de 2010 a 2013, eram parte das comissões que a Setal devia pagar ao PT para garantir contratos com a Petrobras. A ação era feita a pedido do então tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, que está preso em Curitiba, por conta das investigações da Lava Jato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário