Cinelândia é tomada por manifestantes inspirados no movimento Ocupe Wall Street


RIO - Um grupo de cerca de 150 manifestantes, com aproximadamente 30
barracas de acampamento ocupa, neste domingo, parte da Praça Floriano,
na Cinelândia, no Centro. Alguns estavam acampados desde
sábado no local.
O Protesto foi organizado através do site de relacionamentos Facebook,
e é inspirado em uma série de manifestações ocorridas em diversos
países do mundo no último dia 15 de outubro. Assim como o Ocupe
Wall Street realizado em Nova York, nos Estados Unidos, a ideia é
reunir as pessoas em praças de grandes cidades e ocupar o espaço.
Segundo uma jovem que estava acampada e se identificou com apelido de
Macai, o protesto, que está sendo chamado de Ocupa Rio, não tem uma
liderança, nem uma única reivindicação e pretende ficar na praça até
quando for possível.
- Somos um movimento colaborativo, qualquer pessoa pode chegar aqui,
pintar um cartaz e protestar contra algo que não concorda - disse a jovem.
Além de tinta e papelões a disposição para a criação dos cartazes,
sentados ao chão, os manifestantes organizaram uma roda, e um orador por
vez falava sobre um tema pelo qual estava protestando.
- Organizamos também grupos de trabalho que chamamos de GTs para ajudar
na manutenção das pessoas na praça, temos por exemplo o GT da
segurança, com voluntários que ficam de vigília durante a noite e o GT
da infraestrutura, responsável pela alimentação do pessoal e do
material para o protesto - explicou o manifestante que se identificou
apenas como Bernardo.
Afixados pela praça, os cartazes pintados pelos manifestantes
indicavam a diversidade dos alvos da manifestação. Alguns reclamavam
das milícias do Rio de Janeiro, outro apoiava a eutanásia, outros
criticavam o FMI e o capitalismo.
O arquiteto Marcelo de Oliveira, que passava pela Cinelândia diz que
achou o movimento interessante.
- Não estava sabendo que isso estava acontecendo, mas parece uma manifestação de gente jovem e acho que eles tem que fazer isso mesmo. Minha primeira impressão foi de uma espécie de nova versão do movimento hippie - comentou .
Do outro lado da praça, carros da Guarda Municipal acompanhavam à
distancia a movimentação. Segundo os manifestantes, por volta das
15h30, os guardas tentaram dissipar o protesto exigindo que as
barracas fossem retiradas, mas após a recusa pacífica do grupo, eles
recuaram sem enfrentamento violento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário