Soterrado em Lins (SP), operário respirou por bolha de ar

Uma bolha de ar perto do nariz permitiu que Claudinei Tertuliano Lima, 44, totalmente coberto pela terra, conseguisse respirar e aguardar por três horas soterrado até o resgate.

Ele foi o último dos quatro sobreviventes a ser resgatado do buraco.

A reportagem conversou com Lima por telefone na última quarta. Ele não quis receber a Folha.

Até a tarde da última sexta-feira, o operário permanecia internado no hospital São Lucas, em Lins.

Lima conta que ajudava a salvar um colega preso na terra quando ocorreu o segundo desmoronamento.

Dos nove envolvidos no acidente, ele foi um dos mais atingidos.

"Eu era dos que estavam mais embaixo no buraco. Depois que a terra caiu por cima, dava para ouvir os caras andando em cima de mim, tentando salvar a gente."

Lima disse que estava com a respiração fraca e que, por isso, não teve forças para gritar por ajuda.

O tenente Felipe Fernandes Koffler, do Corpo de Bombeiros de Lins, disse ter se surpreendido ao achar Lima com vida.

"Já tínhamos quase perdido a esperança quando vimos um pano azul [o uniforme de Lima] se mexendo."

O operário contou à Folha que agora se sente mais tranquilo. "Quer dizer, normal a gente não fica, porque tem os amigos que eu perdi no acidente."

Nenhum comentário:

Postar um comentário