Ex-marido confessa participação em morte de universitária degolada na Grande SP


A polícia paulista afirmou ontem que o desempregado Alan dos Santos Peçanha, 27, confessou seu envolvimento na morte da ex-mulher, a universitária e modelo Lore Santana Vaz, 26. Segundo a investigação, ele queria dar um susto na jovem por causa de uma dívida de R$ 3.500 contraída pelo então casal. A defesa do rapaz, que está preso, nega as acusações.

Lore foi encontrada degolada dentro de um carro, em Santo André (ABC), no dia 13. Câmeras de uma empresa registraram dois homens abandonando o veículo. Os suspeitos levaram o telefone celular da vítima e o aparelho de som do carro.

Segundo o delegado Paulo Dionisio, de Santo André, Peçanha admitiu ter pago R$ 2.000 para dois homens -metade para cada um- apenas para assustar a ex-mulher.

Os outros acusados, o funileiro Raimundo Nonato Bezerra, 32, e Robert Pirovani Gama, 21, também estão presos.



O casal viveu junto por seis meses e se separou em 2011. De acordo com a polícia, a dívida de R$ 3.500 era de um empréstimo feito para sanar outras dívidas.

Lore e Peçanha, afirmou a polícia, haviam combinado que cada um pagaria metade da nova dívida, que foi parcelada. A universitária quitou duas parcelas e passou a cobrá-lo insistentemente.

CRIME PLANEJADO
O delegado Dionisio afirmou que o ex-marido planejou o crime um mês antes e contratou Bezerra e Gama para executá-lo.

No dia 13, o três foram à faculdade onde Lore estudava. Ao deixar a instituição, a jovem foi abordada em seu carro e colocada no banco de trás. Segundo a polícia, Bezerra dirigiu o veículo, enquanto Gama seguia no assento do passageiro.

Eles percorreram seis quilômetros, em 18 minutos, até o local onde ela foi morta. O delegado disse que Gama alegou ter sido Bezerra o autor da facada.

Segundo a polícia, amostras de pele foram retiradas das unhas da universitária, o que indica que ela lutou com os assassinos. O material recolhido passará por análise.

Peçanha e Gama foram presos anteontem; Bezerra, ontem. Os três estão com a prisão temporária de 30 dias decretada pela Justiça. (JOSMAR JOZINO)

Nenhum comentário:

Postar um comentário