Estudante atira em colegas sob alegação de bullying

Caso ocorreu em escola estadual em Minas; jovem de 19 anos atingiu dois adolecentes de 16, que foram internados, mas não correm risco de morrer. Um estudante de 19 anos, portador de necessidades especiais, foi preso nesta quinta-feira, 4, acusado de atirar em dois colegas de 16 anos na Escola Estadual Efigênia de Jesus Werneck, em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte. Alexandre Esteves dos Santos assumiu o crime e alegou que atirou porque sofria bullying por parte de uma das vítimas. Os dois estudantes baleados foram internados sem risco de vida.

Segundo a Polícia Militar, o acusado usou a arma de um tio, integrante da corporação, para cometer o crime. O tio dormiu na casa da avó de Santos, onde mora o rapaz, e teria guardado o revólver calibre 38 dentro de uma mochila colocada em cima de um armário. Mas o jovem encontrou a arma.

Na escola o rapaz, que usa medicamentos controlados, se deparou com seu principal alvo no corredor. Santos começou a atirar e acertou o adolescente de raspão no ombro e na orelha. O outro adolescente, que não teria envolvimento direto com o atrito, foi atingido na barriga. Ele foi encaminhado para a Policlínica de Santa Luzia, enquanto o primeiro jovem baleado foi socorrido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro São Benedito. Depois de atirar nos colegas, o acusado voltou para casa, onde foi encontrado pela polícia.

Testemunhas contaram à polícia que o adolescente atingido costumava provocar o colega com piadas e tapas na cabeça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário