Irã expulsa diplomata por abusos sexuais no Brasil


Um diplomata iraniano foi expulso do Ministério de Relações Exteriores do Irã após uma investigação sobre acusações de abusos sexuais no Brasil, indicou nesta segunda-feira o governo iraniano em um comunicado.

"Após uma investigação sobre as infrações do funcionário da embaixada da República Islâmica no Brasil, foi concluído que seu comportamento era contrário ao regulamento administrativo e à conduta profissional e islâmica", afirmou o texto.

"Por esse motivo, foi condenado à expulsão do Ministério de Relações Exteriores", acrescentou o comunicado.

O diplomata, que estava em Brasília, teve que ir ao Irã durante a investigação.

Segundo a imprensa brasileira, o diplomata foi acusado de ter acariciado quatro meninas, todas entre 5 e 15 anos, na piscina de um exclusivo clube de Brasília em meados de abril.

O homem foi detido por uma denúncia dos pais da menina, mas a polícia teve que liberá-lo depois do interrogatório, seguindo a Convenção de Viena, que protege os diplomatas.

As famílias das meninas quiseram linchar o diplomata, que conseguiu escapar graças à intervenção dos seguranças do clube.

A embaixada do Irã em Brasília afirmou que o assunto foi apenas "um mal entendido devido às diferenças culturais de comportamento".

Nenhum comentário:

Postar um comentário