Grávida é baleada em operação para recapturar criminoso resgatado dentro de delegacia, no Rio

Uma mulher grávida, de 33 anos, cuja identidade não foi revelada, foi baleada no decorrer de uma operação da Polícia Civil do Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (4), para localizar e prender o acusado de tráfico de drogas Diego de Souza Feitoza, o DG.

Mãe e bebê passam bem, segundo informações da Secretaria Municipal da Saúde. A vítima, que se encontra no sexto mês de gestação, foi atingida no abdômen durante incursão pela favela do Jacarezinho, na zona norte da cidade.

A mulher foi socorrida por agentes da Polícia Civil e encaminhada para o hospital Salgado Filho, no Méier. De acordo com as últimas informações do órgão municipal de saúde, a paciente está internada em período de observação médica, sem previsão de alta.

Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli devem periciar o projétil nos próximos dias para checar se o tiro partiu de armas dos traficantes ou dos próprios policiais.

Procurado pela polícia em caráter "imediato", segundo a chefe da instituição, delegada Martha Rocha, Diego de Souza Feitoza é um dos homens de confiança de Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, chefe do tráfico de drogas no Complexo de Manguinhos, na zona norte.

DG foi resgatado, nesta terça-feira (3), após uma invasão de comparsas fortemente armados ao distrito policial do Engenho Novo (25ª DP) --ele tinha sido preso horas antes.

Ousadia
Espantada com a ousadia dos traficantes, a cúpula da Polícia Civil determinou que sejam feitas operações imediatas para recapturar o criminoso, e pediu ajuda da população. O Disque-Denúncia recebeu até a manhã desta quarta-feira (4) pelo menos 32 ligações com informações sobre o paradeiro de Feitoza.

Agentes de diversas unidades especializadas estão neste momento fazendo incursões pelas comunidades limítrofes de Manguinhos e do Mandela, e pela favela do Jacarezinho, no subúrbio da cidade. Ainda não há informações prisões e/ou apreensões.

Em nota, a instituição esclareceu que DG foi resgatado quando ocupava uma cela da 25ª DP (Engenho Novo), justamente no momento em que homens da Coinpol (Corregedoria Interna da Polícia Civil) realizavam uma diligência no distrito.

Diego de Souza Feitoza foi detido na manhã desta terça-feira (3) após sofrer um acidente de moto em um dos acessos à favela de Manguinhos. Ele tentou furar uma blitz policial em alta velocidade, na contramão, e acabou batendo contra um automóvel.

Ao ser socorrido por policiais do Bope (Batalhão de Operações Especiais) e do Batalhão de Choque, o acusado de tráfico de drogas foi reconhecido, preso e posteriormente encaminhado para a 25ª DP.

DG é considerado homem de confiança do traficante Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, acusado de gerenciar as bocas de fumo em todo o Complexo de Manguinhos.

Marcelo Piloto
Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, vulgo “Marcelo Piloto" ou "Celo", é um dos criminosos que integram a cúpula da facção criminosa Comando Vermelho (CV), e atualmente é o responsável por comandar o tráfico de drogas nas comunidades Mandela 1, 2 e 3, no Complexo de Manguinhos, na zona norte do Rio.

Sempre armado com pistolas e fuzis, e cercado de seguranças, o traficante costuma promover bailes funk nas comunidades, impulsionados pela venda de drogas, e circular com veículos roubados, de acordo com informações do Disque-Denúncia. Ele também é considerado foragido do Instituto Penal Edgard Costa, em Niterói.

Piloto possui antecedentes criminais por tráfico de drogas e roubo, onde seus processos tramitam na 21ª e 30ª Varas Criminais da Capital. Além da acusação por tráfico de drogas, Veiga é suspeito de envolvimento em um esquema de venda de casas do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), e um grande comprador de armas e munições.

Após a prisão do presidente da Associação de Moradores da Favela do Mandela, a Polícia Civil descobriu que o esquema de venda de casas do PAC era comandado pelo traficante, e que 12 casas do PAC foram entregues aos familiares de Marcelo Piloto.

Em junho de 2010, o acusado de chefiar o narcotráfico em Manguinhos foi flagrado em uma escuta telefônica feita pela polícia enquanto comprava munição para fuzil. Exatamente um ano depois, Piloto participou e liderou os arrastões ocorridos na Avenida Pastor Martin Luther King Jr., e nas saídas cinco e oito da Linha Amarela, por volta das 7h20.

Em relatos na 21ª DP e na 44ª DP, vítimas o identificaram e contaram que os assaltos foram rápidos, não passando de dois minutos cada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário